MÁQUINA DE FAZER MASSACRE

Independente

2018

Impressão em offset (vermelho e preto) sobre papel vegetal e pólen. 32 páginas, 9,9x21cm.

A publicação se passa por dois momentos em pontos distintos, geográfica e historicamente falando, abordando os massacres ocorridos nas cidades de Ipatinga, no interior do estado de Minas Gerais, e Gwangju, na Coreia do Sul. Um precede o golpe militar (Ipatinga), enquanto o outro ocorre durante e estabelece o começo da resistência contra a ditadura militar (Gwangju). O Massacre de Gwangju, ou o Movimento de Democratização de Gwangju, possui uma forte memória no povo sul-coreano, sendo comemorado anualmente não somente um doloroso e trágico capítulo da história moderna do país, mas também lembrado como o divisor de águas para sua democracia por meio da luta popular. O período, de 18 de maio à 27 de maio de 1980, representa a primeira luta armada contra militares na ditadura da Coreia do Sul, desde o fim da Guerra da Coreia em 1953.

A publicação foi uma das finalistas do Prêmio Dente de 2019, na categoria zine.